Café orgânico e de comércio justo (Fair Trade)

Coffee Tully's

Prefere uma marca e um tipo de café que tenha um impacto positivo no mundo? O café orgânico e o comércio justo (Fair Trade) são dois conceitos muito importantes na indústria do café, e para quem tem uma consciência ecológica. Saiba o são e em que consistem, e compreenda a importância que têm tido no mercado internacional de café.

O que é o café orgânico

O café orgânico é todo o tipo de café que é produzido sem a utilização de fertilizantes tóxicos ou químicos como os fungicidas, herbicidas ou inseticidas. No seu lugar, utilizam-se fertilizantes orgânicos e adubos verdes para que a terra tenha todas as condições essenciais para a plantação e cultivo do café.

Trata-se de um tipo de café especial que se tem vindo a destacar nos últimos anos e isso acontece porque, atualmente, as pessoas têm consciência que o cultivo dos produtos naturais produz melhores resultados para a saúde e para o meio ambiente.

Quais os principais produtores de café orgânico

O México é o maior produtor de cafés orgânicos do mundo e isso permite-lhe liderar o mercado internacional. O país tem cerca de 70.000 hectares de plantações de café, muitas variedades botânicas das espécies Robusta e Arábica e comercializa cerca de 30 mil toneladas de café orgânico por ano.

Outros países se destacam na produção e comercialização do café orgânico, como o Peru, Nicarágua, Bolívia, Colômbia, costa Rica e Guatemala. Em todos eles, o investimento continua a ser necessário para garantir um café com mais qualidade, pois só assim existirá uma maior competitividade no comércio local e internacional.

O que é o comércio justo (Fair Trade)

O comércio justo (Fair Trade) é um movimento social e uma modalidade de comércio internacional que, além dos critérios económicos, considera os valores éticos, sociais e ambientais. O comércio justo procura garantir:

  • Um salário digno;
  • Melhores condições de trabalho para os pequenos produtores de café;
  • Melhores condições de vida;
  • A produção e comercialização de produtos de qualidade com a garantia de que foram respeitados os direitos dos produtores de café e do meio ambiente;
  • Uma maior visibilidade dos produtos para os produtores mais desfavorecidos;
  • A não existência de intermediários para que os lucros não sejam filtrados ou divididos por outras pessoas ou partes que são alheias à produção.

Esta parceria é estabelecida entre todos os produtores, como os de café, e os consumidores e baseia-se no diálogo, na transparência e no respeito e, acima de tudo, na procura uma maior justiça no comércio internacional.

O comércio justo (Fair Trade) e a produção de café

No caso da produção e comercialização do café, o comércio justo (Fair Trade) procura apoiar e incentivar os produtores mais pequenos, vendendo as suas colheitas com a etiqueta de grãos de café de comércio justo. É uma forma de criar novos meios e oportunidades equitativas para todos, permitindo que os pequenos produtores recebam um pagamento justo face à qualidade dos seus produtos. A produção orgânica é também uma mais-valia no comércio justo (Fair Trade), representa uma fonte de rendimento que cobre os custos de produção e é uma forma de gerar mais dinheiro para a produção familiar ou individual.

O comércio justo é equiparado ao comércio responsável e este é um meio eficaz na redução da pobreza e na promoção de um desenvolvimento sustentável. É cada vez mais fácil encontrar lojas ou portais da internet com produtos do comércio justo (Fair Trade), pois a oferta é muito variada. Das principais marcas de café que recorrem ao comércio justo (Fair Trade) destacam-se as seguintes: a Delta, a Nicola, a Starbucks, a Mocay, Serventa, entre outras.

As organizações de comércio justo são suportadas pelos consumidores, estão envolvidas no apoio aos produtores e encontram-se em campanhas de sensibilização um pouco por toda a parte. De uma forma geral, elas apoiam quem produz cafés de alta qualidade, conseguindo um equilíbrio ecológico, económico e social.

História do comércio justo (Fair Trade)

O conceito de comércio justo (Fair Trade) surgiu nos anos 60 com a criação da Fair Trade Organisatie, na Holanda. Em 1969, foi inaugurada a primeira loja de comércio justo (Fair Trade) e o café foi o primeiro produto a seguir o padrão de certificação deste tipo de comércio. O ato de comprar café de acordo com esta filosofia foi um sucesso e, como tal, este conceito espalhou-se pela Europa. Anos mais tarde, em 1989, foi criada a International Fair Trade Association que, atualmente, reúne cerca de 300 organizações em 60 países.
Estas organizações dão especial atenção às exportações dos países em desenvolvimento para os países mais desenvolvidos e os produtos que mais se destacam são: o café, os produtos agrícolas e os artesanais.

A sua votação: